A luta contra a imperfeição cutânea é também possível através da bioengenharia. Rugas, marcas de acne, cicatrizes e estrias podem ser resolvidas e tratadas sem bisturi ou agulhas, sem anestesia e sem dor.

ULTRAPEEL-TRANSDERM

O resultado consegue-se com a ação combinada de dois instrumentos ultra sofisticados: o primeiro efetua uma Microdermoabrasão superficial, isto é, a eliminação do extrato córneo da pele, que é o obstáculo principal à veiculação dos vários princípios ativos; o segundo, é através da dermoeletroporação: uma série de impulsos elétricos e vibração, que abrem entre as células os canais aquosos (ditos eletroporos), fazendo penetrar na derme os princípios pré-escolhidos para tratar, regenerar e suavizar a pele.

O sucesso desta técnica consiste na capacidade de veicular substâncias vitais e reparadoras do tecido, como elastina, colagéneo, ácido hialurónico ou os seus percursores, diretamente nos estratos mais profundos da derme sem utilizar agulhas ou seringas. Até agora, as substâncias capazes de ativar, nutrir e reconstruir os tecidos não podiam ser introduzidas em profundidade, senão por meio de infiltrações.

Porém, a dermoeletroporação consegue superar este obstáculo. Além de levar as substâncias regeneradoras aos estratos mais profundos da derme, este equipamento permite também, graças à emissão de particulares vibrações, estimular os recetores ligados à vascularização dos tecidos e aos fibroblastos, permitindo a produção de novo colagénio e manter a água.

Um estudo clínico, em 400 pessoas, durante 18 meses, demonstrou a eficácia deste método transdérmico em patologias diversas: desde marcas de acne a manchas de envelhecimento, de estrias de longa data a rugas profundas. Os resultados são também muito evidentes para travar o envelhecimento das mãos e do rosto.